Púrpura: saiba mais sobre essas manchas

Quais os tipos e como ela surge?

Quando batemos alguma parte do nosso corpo, vários vasos sanguíneos são danificados, podendo resultar em um hematoma. Eles são consequência de uma hemorragia que atinge o tecido da pele. A mancha roxa pode permanecer no local por algumas semanas e mudar de cor com o passar do tempo.

É necessário consultar o médico em caso de hematomas que não demonstram nenhuma recuperação e, principalmente, se surgem sem qualquer contusão, como a chamada “Púrpura”.

A púrpura é uma doença autoimune que se define pelo vazamento de sangue, devido a ruptura de capilares, e por um distúrbio das plaquetas, células ligadas ao processo de coagulação do sangue.

O nome da enfermidade é uma referência a pequenas manchinhas que surgem na pele ou mucosas sem pancadas. Mesmo que pareça óbvio quando falamos seu nome, já que nos remete a cor roxa, essa doença pode ser um tanto complexa.

A Púrpura afeta aproximadamente uma em cada 10 mil pessoas, aparecendo mais em mulheres no período fértil e também idosos devido ao envelhecimento da pele.

Recém-nascidos podem apresentar a doença devido à falta de proteínas, provocando a formação de coágulos nos vasos, dificultando a passagem de sangue pelo corpo.

De acordo com o hematologista do Hospital das Clínicas de Belo Horizonte, Dr. João Paulo de Oliveira Guimarães (CRM–MG nº: 20240), os sintomas se apresentam como hematomas, pequenas manchas roxas e vermelhas espalhadas pelo corpo, além de possíveis sangramentos espontâneos na gengiva, narinas, urina e fezes.

A Púrpura também pode ser nomeada como:

Esse tipo é mais comum em crianças abaixo de 10 anos.
Ocorre o surgimento de pequenas manchas vermelhas, principalmente na região das pernas e glúteos, podendo causar desconforto nas articulações ou abdômen.

Nesse caso, ocorre a diminuição do número de plaquetas no sangue, podendo causar grandes manchas roxas na pele e possíveis sangramentos pelas narinas.

É um tipo raro da doença e acontece com mais frequência entre pessoas de 20 a 40 anos.

Se não for tratada rapidamente, pode se tornar grave, provocando perda de plaquetas, alterações neurológicas e anemia.

Esteja atento ao surgimento de pequenas manchas na pele sem quaisquer motivos. Nesse caso, procure um médico.

Referência:

Mercola. Razões pelas quais os hematomas estão aparecendo facilmente. Disponível em: < https://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/08/08/hematomas-aparecendo-facilmente.aspx >. Acesso em: Março/2018.

Sponchiato, D. Uma doença chamada púrpura. Disponível em: < https://saude.abril.com.br/medicina/uma-doenca-chamada-purpura/ >. Acesso em: Março/2018.

Varella, D. Púrpura Trombocitopênica Imunológica. Disponível em: < https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/purpura-trombocitopenica-idiopatica/ >. Acesso em: Março/2018.

Pereira, M. Púrpura autoimune: uma doença silenciosa, pouco conhecida e que pode levar à morte. Disponível em: < https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2015/02/24/noticias-saude,188057/purpura-autoimune-uma-doenca-silenciosa-pouco-conhecida-e-que-pode-l.shtml >. Acesso em: Março/2018.

AbcMed. Púrpura: o que é? Quais as causas? E os sintomas? Como é feito o diagnosetico? E o tratamento? Existe prevenção?. Disponível em: < http://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/379449/purpura+o+que+e+quais+as+causas+e+os+sintomas+como+e+feito+o+diagnostico+e+o+tratamento+existe+prevencao.htm >. Acesso em: Março/2018.

Frazão, A. Principais tipos de púrpura e como tratar. Disponível em: < https://www.tuasaude.com/purpura/ >. Acesso em: Março/2018.

Santana, L. et. al. Trombocitopenia autoimune em crianças: revisão das recomendações do último consenso. Disponível em: < http://www.sprs.com.br/sprs2013/bancoimg/140324183300bcped_13_03_03.pdf >. Acesso em: Março/2018.

Primeiros socorros em acidentes domésticos

Não passe sufoco na hora do desespero.

Não somos capazes de prever todos os acidentes, mas isso não significa que não podemos evitar a maioria deles. Se adotarmos práticas, como guardar medicamentos, material de limpeza e utensílios domésticos fora do alcance das crianças ou apostar em móveis livres de pontas e nos atentarmos às escadas, a porcentagem de acidentes serão reduzida.
Todo cuidado é fundamental pois, segundo dados do Ministério da Saúde do Brasil de 2012, 3.142 mortes e mais de 75 mil hospitalizações ocorreram em crianças na faixa etária de zero a nove anos devido a acidentes, caracterizando assim um grave problema de saúde pública.
De acordo com o livro “Mapeamento da Ação Finalístico Evitando Acidentes na Primeira Infância, do Plano Nacional da Primeira Infância (PNPI, 2014), entre os bebês que ainda não completaram o primeiro aniversário até os 9 anos, a porcentagem de acidentes é representada por acidentes de trânsito (33%), afogamento (23%), sufocação (23%), queimaduras (7%), quedas (6%) e outros (6%).
Se você tem filho pequeno em casa, leia as dicas a seguir e saiba como agir em situações de perigo:

– Queimaduras
Verifique a gravidade da situação e jamais use qualquer receita caseira para tratar uma queimadura. Se forem causadas por líquidos quentes ou produtos químicos, o correto é deixar o ferimento sob água corrente até que a área queimada seja resfriada. Se a queimadura for grave, envolva a região afetada em um pano limpo e molhado com água fria e leve seu filho ao hospital.
No caso dos bebês, a maioria das queimaduras acontece durante o banho. Para assegurar que a temperatura da água estão boa, coloque primeiro uma quantidade fria e vá temperando com outra quente, testando a temperatura com a mão ao movê-la em toda a banheira.
A queimadura também pode acontecer pela ingestão de lí­quidos muito quentes. O leite pode ser dado à criança em temperatura ambiente, nem quente nem frio. Mas, se preferir esquentá-lo um pouco, pingue no antebraço ou dorso da mão para saber se não há risco de queimaduras para a boca e garganta do bebê.

– Quedas e cortes
Crianças são propensas a cair da cama, da cadeira ou do topo do escorregador, que normalmente possuem altura maior que 1,5m. Caso isso aconteça, mesmo não apresentando sintomas aparentes como ossos quebrados e fraturas expostas, vão para o hospital. Independente se ele tenha caído em solos que “amortecem” a queda como grama, areia ou piso emborrachado.
Se for um bebê, leve-o com urgência.
Em casos de cortes, quando pequenos, lave o local com água e sabão para higienizar a área. Se sangrar, comprima o local com um pano limpo e seco. Em casos de ferimentos graves, siga direto para o hospital.

– Choques elétricos
Antes de interromper o contato da criança com os fios/ tomada, desligue a chave geral do local. Lembre-se de manter a calma e não tocar na criança até que a corrente elétrica seja desligada. Se encostar enquanto a descarga estiver sendo transmitida, também levará choque e não poderá ajudar.
Se não houver a possibilidade de desligar a energia, remova o fio com um cabo de vassoura, tapete de borracha ou qualquer outro objeto isolante.
Logo após, leve seu filho ao hospital para analisar possíveis queimaduras e danos internos. Qualquer choque elétrico, por mais simples que possa parecer, aí potencialmente grave, podendo gerar parada respiratória, fibrilação ventricular e parada cardíaca.

– Asfixia, engasgo e sufocaçãoo
Em geral, o objeto será expelido naturalmente pela tosse. Caso isso não aconteça, posicione-se atrás da criança, de joelhos. Mantenha uma das mãos fechada sobre a chamada “boca do estómago” e com a outra mão, comprima a primeira para dentro e para cima, como se quisesse levantar a vítima do chão.
No caso de bebê, posicione-o de bruços em cima de seu braço e efetue cinco compressões no meio das costas. Vire-o de barriga para cima em seu braço e efetue cinco compressões sobre o meio do peito, na altura dos mamilos. Tentar visualizar o corpo estranho e retirá-lo delicadamente. Se não conseguir, repetir as compressões até a chegada a um serviço de emergência.
Se a criança ou o bebê estiverem inconscientes, procure socorro médico imediato.
Intoxicações e envenenamentos
O principal motivo para manter produtos de limpeza e remédios longe das crianças aí pela grande chance de envenenamento.
Se ingerida a substância, não ofereça água, leite ou qualquer outro líquido. Transporte a criança imediatamente até o hospital em posição lateral, a fim de evitar a aspiração de vómito.
Se atingir a pele, lave abundantemente o local afetado com água corrente. Leve a criança ao hospital para uma avaliação médica.
Por fim, se a criança inalar qualquer substância tôxica, leve-a diretamente para o hospital.

– Veículos
Automóveis podem ser inimigos quando se tem um filho, então a melhor maneira de protegê-lo é usar cadeiras apropriadas para o transporte e garantir que ele se encontre preso corretamente.
Existem tipos especí­ficos de assento para cada idade e devem ser instalados no banco traseiro do veículo. Até pelo menos 1 ano de idade, o bebê viaja de costas, pois, a posição protege a cabeça e a coluna vertebral, o que impede que a criança seja lançada para fora do carro.
De acordo com dados levantados pela ONG Criança Segura, se corretamente instaladas, as cadeirinhas de carro podem evitar cerca de 70% dos acidentes.

Hirudoid® reduz os hematomas, diminuindo a inflamação e aliviando a dor.

Referências:
Bula do Hirudoid®.

Rede Nacional Primeira Infância – Projeto observatório da primeira infância. Evitando acidentes na primeira infância. São Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências – Portaria MS/GM n.º 737 de 16/5/01. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de vigilância do âmbito infantil e fetal e do comitê de prevenção do âmbito infantil e fetal. abr. 2009. 80 p. Livrotab, graf.(A. Normas e Manuais Técnicos). Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Macagnan, M. Acidentes domésticos com crianças. Disponí­vel em: . Acesso em: Janeiro/2018

Verdélio, A. Medidas preventiva podem evitar 90% dos acidentes com crianças. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Portal Brasil. Acidentes domésticos ainda são principal causa de morte de crianças até 9 anos. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Criança Segura Brasil. Como prevenir acidentes de trânsito. Disponí­vel em: . Acesso em: Janeiro/2018

Criança Segura Brasil. Veja qual é o tipo de cadeira de segurança mais adequado ao peso e idade da criança. Disponí­vel em: < http://criancasegura.org.br/wp-content/uploads/2016/11/cartaz.pdf >. Acesso em: Janeiro/2018

Criança Segura Brasil. Como prevenir envenenamento e intoxicação. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Criança Segura Brasil. Como prevenir quedas. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Criança Segura Brasil. Como prevenir sufocação e engasgamento. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Sociedade Brasileira de Queimaduras. Primeiros socorros e cuidados. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

BabyCenter Brasil. Queimadura em crianças: o que fazer. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

BabyCenter Brasil. Saiba tudo sobre as cadeirinhas de carro. Disponível em: < https://brasil.babycenter.com/a1500828/saiba-tudo-sobre-as-cadeirinhas-de-carro >. Acesso em: Janeiro/2018

Tenente, L. Queimaduras: bebês de 1 ano têm 10 vezes mais risco de sofrer esse acidente. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Paulis, M. O que fazer quando a criança cai e bate a cabeça?. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Monteiro, L. Como agir em acidentes domésticos com crianças. Disponível em: < https://bebe.abril.com.br/saude/primeiros-socorros-como-agir-em-acidentes-domesticos-com-criancas/ >. Acesso em: Janeiro/2018

Carpegiani, F. O que fazer se a criança se cortar. Disponível em: < http://revistacrescer.globo.com/Criancas/Saude/noticia/2013/07/o-que-fazer-se-o-seu-filho-se-cortar.html >. Acesso em: Janeiro/2018

Hospital Santa Lúcia. Engasgo. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018.

UNESP. Riscos da eletricidade. Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018.

VIVID – Saúde e Vaidade. Queimaduras elétricas, o que fazer?.  Disponível em: . Acesso em: Janeiro/2018

Dermatite ocre: atenção para o cuidado com as varizes

Segundo estimativa da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), 38% da população geral brasileira sofre de varizes, sendo 2,3 vezes mais propensas em mulheres do que em homens.

Isso acontece por um conjunto de fatores como, por exemplo, hormônios, uso prolongado de anticoncepcionais, gravidez, idade avançada, ficar na mesma posição por muito tempo, entre outros. Esses fatores interferem na circulação sanguínea e podem contribuir para o surgimento de varizes.

Mas isso não significa que esse problema faz parte apenas do mundo feminino. Em média, um em cada cinco homens apresenta varizes, principalmente após os 30 anos.

A dermatite ocre é o escurecimento da pele na região das varizes quando não são tratadas corretamente. Conforme a pressão nas veias aumenta, os vasos menores são atingidos, levando a múltiplas micro-hemorragias sob a pele. Quando rompidos, algumas hemoglobinas dos glóbulos vermelhos podem chegar à camada mais profunda da pele, liberando ferro em excesso.

Pessoas acometidas por varizes devem ficar atentas a outras questões de saúde, como a obesidade, sedentarismo e doenças que limitam o movimento dos membros.

Permanecer na mesma posição por horas, manter uma má alimentação e falta de atividade física prejudicam a circulação do sangue, que é essencial para o bom funcionamento do corpo.

Estima-se que 1/3 da população de países industrializados e desenvolvidos apresenta obesidade grave que requer tratamento para evitar o desenvolvimento de complicações como hipertensão arterial (HA), diabetes mellitus (DM), stress respiratório e doenças venosas com úlceras de membros inferiores.

Optar por atividades físicas de acordo com o seu interesse e capacidade, como caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar ou jogar bola é muito importante.

Para o diagnóstico e tratamento adequados ao seu caso, procure um médico.

Hirudoid® diminui a sensação de peso nas pernas causada pelo inchaço¹ e alivia a dor das varizes¹.

Referências:

  1. Bula do Hirudoid®

CorpusClin. Dermatite Ocre. Disponível em: http://www.corpusclin.com.br/dermatite-ocre. Acesso em: Janeiro/2018.

Dr. Raphael Tobias. Dermatite Ocre. Disponível em: http://www.raphaeltobias.com.br/dermatite-ocre.asp. Acesso em: Janeiro/2018.

Os Lusíadas. Os homens também têm varizes nas pernas. Disponível em: https://rotasaude.lusiadas.pt/os-homens-tambem-tem-varizes-nas-pernas/. Acesso em: Janeiro de 2018.

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular. Varizes: muito além da estética, uma questão de saúde! Disponível em: http://www.sbacvrj.com.br/semanavascularIX/semana.html. Acesso em: Janeiro de 2018.

Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular. Estimativas SBACV. Disponível em: http://www.sbacv.com.br/imprensa/estimativas/. Acesso em: Janeiro de 2018.

J. vasc. bras. Prevalência de insuficiência venosa superficial dos membros inferiores em pacientes obesos e não obesos. Vol.10 no.2 Porto Alegre, 2011. Disponível em: http://bit.ly/2B8uVAZ. Acesso em: Janeiro de 2018.

50 tons de hematoma

A paleta de cores das pancadas.

Em uma batida mais forte, vários vasos sanguíneos podem ser danificados. Enquanto isso, os fatores de coagulação sanguínea, como as plaquetas, trabalham para estancar as pequenas hemorragias.

Isto é super normal, então não se assuste se por acaso um hematoma aparecer. Eles são consequência de uma hemorragia que não chega à superfície da pele. Por algumas semanas, você pode ficar com uma mancha roxa, que muda de cor com o passar do tempo. Mas você sabe por que isto acontece?

A mudança na coloração se deve às transformações bioquímicas da hemoglobina, pigmento dos glóbulos vermelhos do sangue, que transfere oxigênio às células.

Mas vamos entender melhor o arco-íris dos hematomas do nosso corpo?

– Do vermelho ao amarelo

Vermelho: A primeira cor que aparece é o vermelho. Isso se dá devido ao sangue vazando nos tecidos.

Azul: Dentro de algumas horas, o sangue que vazou começa a perder o oxigênio que ele estava carregando. Quando isso acontece, a mancha torna-se mais azul ou roxa.

Roxo: Após alguns dias, a cor do hematoma torna-se um roxo mais intenso. Isto ocorre à medida que as células vermelhas do sangue se quebram e o ferro presente nelas é liberado para a área afetada.

Verde: Quando essa cor aparecer, você pode começar a comemorar! Significa que está se recuperando. A cor vai começar a aparecer nas bordas do hematoma ou diretamente no centro. A cor verde ocorre devido à degradação da hemoglobina em um composto chamado biliverdina.

Amarelo: Finalmente, a reta final do hematoma está próxima. De verde, a contusão passa a ter uma cor amarelada. Isso se dá pela decomposição final da hemoglobina, chamada bilirrubina. Isto acontece de forma muito rápida.

É necessário consultar o médico quando os hematomas não demonstram nenhuma recuperação e principalmente quando surgem sem qualquer batida, podendo caracterizar uma doença da coagulação do sangue.

Em casos como esse, existe uma área médica específica, a hematologia. Ela se dedica totalmente ao estudo da fisiologia e patologia do sangue, da medula e dos gânglios linfáticos.

Saiba mais como surgem os hematomas em: https://www.hirudoid.com.br/hematomas/por-que-ficamos-com-hematomas/

Hirudoid® reduz os hematomas, diminuindo a inflamação e aliviando a dor.

Referência:

1. Bula do Hirudoid®.

2. https://super.abril.com.br/saude/hematomas/

3. https://www.biologiatotal.com.br/blog/por+que+aparecem+os+hematomas-184.html

4. http://pt.allanswers.site/beleza/a-mudanca-da-cor-de-hematomas-e-seus-significados-causas-testes-diagnostico-e-tr.php

5. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1995/10/23/folhateen/23.html

Sedentarismo contribui para varizes?

Ai, que cansaço!

Como você já deve saber, com as facilidades da vida moderna, o sedentarismo acaba sendo intensificado pelos novos maus hábitos.

Acontece pelo maior tempo que passamos dentro de veículos, a facilidade que temos em usar elevadores ao invés de escadas ou a comodidade de realizar qualquer compra on-line. Sentados o dia inteiro na nossa mesa do escritório ou o lazer que fica resumido a desperdiçar um dia inteiro em frente a TV ou jogando video-game, enquanto forramos o estômago com alguma besteirinha.

Só não confunda “ser sedentário” com “relaxar”. Uma pessoa pode sim relaxar jogando video-game, mas também pode caminhar no parque ou sair com os amigos para uma festa legal. Já quem leva o estilo de vida sedentário, não sente vontade de fazer nenhum esforço físico, seja sair para qualquer lugar ou simplesmente limpar a casa. Cria-se um ciclo que piora a cada dia. Aí já viu! Pode vir o sobrepeso e podem surgir algumas doenças, como as cardiovasculares, diabetes, obesidade, aumento do colesterol, hipertensão e varizes. Sim, varizes!

Permanecer na mesma posição por horas, manter uma má alimentação e falta de atividades prejudicam a circulação do sangue, que é essencial para o bom funcionamento do corpo. Por isso, as pessoas que são sedentárias devem adotar uma mudança de hábitos. Optar por atividades físicas de acordo com o seu interesse e capacidade: caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar ou jogar bola.

Assim, os exercícios ajudam a prevenir as varizes, porque estimulam a circulação do sangue e evitam o aparecimento de veias doentes. Lembrando que devemos sempre obedecer às orientações de um médico.

Uma alimentação equilibrada ajuda na manutenção do peso adequado, o que, por sua vez, também diminui as chances de desenvolvimento de varizes.

Hirudoid® diminui a sensação de peso nas pernas causada pelo inchaço¹ e alivia a dor das varizes¹.

Referências:

1. Bula do Hirudoid®.

http://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/754592/sedentarismo+o+que+e+quais+as+consequencias+como+abandona+lo.htm

https://www.ecycle.com.br/component/content/article/67/4770-a-doenca-do-seculo-sedentarismo-falta-ausencia-diminuicao-atividades-fisicas-esportivas-doenca-causas-tratamento-consequencias-mal-do-seculo-calorias-medico-profissionais-saude-risco-perigo-morte-subita-hipertensao-colesterol.html

http://www.otempo.com.br/o-tempo-betim/sedentarismo-causa-as-varizes-1.17331

http://cuidadospelavida.com.br/meu-corpo/pernas-e-bracos/o-sedentarismo-e-um-fator-no-aparecimento-de-varizes

http://jornalbrasil.com.br/noticia/sedentarismo-pode-causar-o-aparecimento-de-varizes.html

http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/3058/-1/varizes-sedentarios-correm-mais-riscos.html

http://www.claudiasathler.com/entenda-o-que-e-e-o-que-causa-varizes/

https://www.significados.com.br/sedentarismo/

Varizes não é só coisa de mulher

Homens podem ter varizes sim!

A maioria dos casos envolve as mulheres. São mais comuns devido à ação dos hormônios presentes no corpo feminino. O ciclo menstrual, a reposição hormonal e até a própria gravidez podem contribuir.

Mas se você pensa que esse problema faz parte apenas do mundo feminino, está enganado. Em média, um em cada cinco homens sofrem, principalmente na faixa entre 30 e 40 anos.

O principal fator é a árvore genealógica. A doença tem predisposição hereditária, então se a mãe ou pai tem varizes, as chances dos filhos terem também aumentam. Obesidade, sedentarismo ou permanecer muito tempo em apenas uma posição pode contribuir para o surgimento.

Passam despercebidas pelos homens, porque muitos não costumam raspar os pêlos das pernas, o que camufla as veias doentes. A maioria só descobre que tem o problema quando procura ajuda médica para aliviar os sintomas, como a dor.

Até mesmo com as varizes aparentes ou veias de grosso calibre, alguns homens relutam em consultar um médico. Seja por desconhecerem a importância da consulta médica ou por simples preconceito. Já que alguns dizem que “varizes é coisa de mulher”.

Como a maioria das mulheres costuma depilar os membros inferiores com mais frequência, acabam descobrindo o problema no começo. Além disso, na prática, elas são mais atentas ao seu aparecimento, mais exigentes com o resultado estético e também têm mais costume de ir ao médico do que os homens.

A prevenção pode ser possível através da movimentação do corpo. Fortalecer a musculatura das pernas também favorece o bom funcionamento das veias. Exercícios físicos como caminhada, natação, bicicleta ajudam, assim como alongamentos e boa alimentação.

Veja outras formas de aliviar os sintomas: https://www.hirudoid.com.br/varizes/varizes-sao-geneticas-mas-podem-ser-aliviadas/

Lembre-se que é necessário consultar um médico.

Hirudoid® diminui a sensação de peso nas pernas causada pelo inchaço¹ e alivia a dor das varizes¹.

Referência:

https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/homem/varizes-tambem-afeta-homens-saiba-como-prevenir-e-tratar,c708bb3463237310VgnCLD100000bbcceb0aRCRD.html

http://revistavivasaude.uol.com.br/clinica-geral/como-tratar-as-varizes-em-homens/2651/

http://revistavivasaude.uol.com.br/Edicoes/20/artigo12562-1.asp/

https://www.vix.com/pt/bdm/saude-mulher/para-eliminar-varizes-e-essencial-fazer-exercicios-fisicos

Stand Up Paddle: Esporte que acalma a mente e ajuda o corpo.

É a maior onda!

O Stand Up Paddle ou SUP é um dos esportes mais procurados por quem visita o litoral no verão. Contudo, pouca gente sabe que esse esporte também pode ser praticado em lagoas e represas dentro de grandes cidades. O SUP é uma forma antiga de surfe, e ressurgiu como uma maneira dos instrutores organizarem seus grupos de alunos dentro do mar, pelo fato de estarem em pé na prancha, dando maior visibilidade.

No Brasil, chegou por meio de dois surfistas, Jorge Pacelli e Haroldo Ambrósio, que trouxeram equipamentos mais modernos. Após isso, o interesse pelo esporte foi crescendo e se tornou febre, praticado em praias do Rio de Janeiro, São Paulo, lagos e rios em Brasília e mais recentemente no Nordeste brasileiro. É um esporte que permite um contato com a natureza como poucos, atraindo pessoas de todas as idades, de todas as regiões.

Praticar SUP se resume em ficar de pé em cima de uma prancha, manter o equilíbrio e remar, e praticar esse esporte em águas tranquilas, livres de grandes marolas e ondas é essencial. Mas antes de sair remando por aí, saiba que não basta apenas comprar todos os acessórios, é preciso aprender as instruções dadas por profissionais. Como subir na prancha, segurar o remo e saber o que fazer quando vem uma marola.

Mas vamos ao que interessa! Você deve estar se perguntando quais lugares são preparados para esse esporte, então separamos quatro lugares:

Guarapiranga: A represa fica na Zona Sul de São Paulo, a menos de 20km da Avenida Paulista, com aproximadamente 28km² de extensão.

Yacht Club Paulista: É lá que acontece o maior festival de SUP de São Paulo, o VASUPCUP. Além da parte recreativa, na qual participam praticantes de todas as idades, há uma competição que inclui atletas profissionais.

Team Brazil: Fica localizado dentro do clube da AES Eletropaulo (ADC Eletropaulo). São oferecidas aulas para iniciantes, para praticantes avançados e aluguel do equipamento.

Tempo Wind & SUP Clube: O clube é focado nos esportes aquáticos e oferece uma boa infraestrutura para os interessados. Além das aulas para iniciantes e do aluguel do equipamento, oferece o SUP Pilates, que é a prática de pilates em cima da prancha.

Tá esperando o quê? Experimente esse esporte novo e depois nos conte o que achou. Ah, lembrando que você pode levar algumas quedas, então se os hematomas persistirem, Hirudoid® reduz os hematomas¹, a inflamação¹, e alivia a dor¹.

 

Referências:

1. Bula do Hirudoid®.

http://www.supsurf.com.br/

https://www.freetheessence.com.br/unplug/escapadas-urbanas/onde-para-praticar-stand-up-paddle-em-sao-paulo/

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/01/stand-paddle-e-opcao-de-esporte-refrescante-no-verao-paulistano.html

http://wesup.com.br/dicas/onde-remar/existe-sup-em-sp-4-lugares-para-praticar-stand-up-paddle-em-sao-paulo/

Roupa apertada causa varizes?

Pare de passar aperto.

Algo que faz parte do gosto e do look da maioria das mulheres hoje em dia é o uso de roupas apertadas. E a peça que nunca falta dentro do armário são as calças skinny e shorts. O problema é que toda essa vaidade tem seu lado ruim, principalmente porque roupas mais apertadas costumam gerar desconforto e incômodo, além de poderem causar sérias consequências para o corpo.

O uso contínuo de roupas mais justas pode dificultar a circulação e o retorno do sangue venoso, que passa muito tempo nos membros inferiores. Essas peças de roupas geram compressões na região das pernas e na região abdominal, fazendo com que haja propagação de vasos e varizes.

E a aparição desse problema afeta mais as mulheres do que os homens. Isso porque um dos hormônios que a mulher possui, a progesterona, faz com que suas veias alarguem e com o uso de peças apertadas, a circulação é prejudicada, promovendo então a existência e o agravamento de varizes. Portanto, sempre que puder evitar de usar roupas apertadas, evite.

Muitas pessoas compram roupas em números menores do que realmente usam para parecerem mais magras, outras engordam e nem percebem que a roupa não serve mais, que está apertada. A verdade é que se você não está se sentindo confortável com a peça que está usando, então é melhor trocar do que causar um problema maior. É importante evitar o uso contínuo de roupas justas, elas vão causar problemas sérios de saúde que podem ser evitados.

Não tente esconder as varizes utilizando roupas apertadas, ao invés disso, aposte em roupas mais soltas e confortáveis e se as dores persistirem, Hirudoid® alivia a dor em processos inflamatórios localizados.

 

Referências:

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/06/calca-apertada-pode-afetar-circulacao-e-saude-intima-de-homens-e-mulheres.html

http://essaseoutras.xpg.uol.com.br/perigos-de-usar-roupas-justas-roupa-apertada-piora-celulite-varizes/

Como curar um hematoma?

Tchau, tchau, hematomas!

É correto afirmar que não é possível passar pela vida sem ganhar alguns roxos. Bate ali, esbarra aqui, cai por lá e quando você reparar, já ganhou uma coleção incontável de hematomas. Em casos de contusões mais graves, quando passa um tempo e é perceptível que não houve nenhuma melhora nas manchas, é necessário que se procure um médico, para obter um diagnóstico. Contudo, quando o hematoma não é tão profundo e nem tão grave, ele some com o tempo.

Uma contusão pode ocorrer em qualquer parte do corpo e embora não haja uma solução rápida para se livrar dessas manchas que doem e incomodam, existem formas eficazes de fazer com que elas diminuam, acelerando o processo de recuperação e normalizando a corrente sanguínea.

O ideal é que ponha gelo no local na batida logo após o ocorrido. Colocar algo frio na contusão irá reduzir o inchaço, ajudando no processo de cicatrização. Em geral, quanto mais cedo você aplicar gelo após a lesão, menor sangramento irá resultar, impedindo que o hematoma se espalhe.

Para hematomas com mais de 48 horas, é recomendável aplicar compressas de água quente para dissolver os coágulos formados e melhorar a circulação do sangue. Você pode utilizar uma bolsa de água ou molhar um pano em água quente, feito isso aplique sobre o local, deixando-o atuar por, aproximadamente, 20 minutos. Após 1 hora, repita o processo.

E, principalmente, descanse. Exercitar seus músculos aumenta o fluxo sanguíneo e levar mais sangue para um hematoma é a última coisa que você pode querer. Aproveite para relaxar, colocar aquelas séries e livros em dia, tanto para prevenir um machucado maior, quanto para dar uma chance da contusão sarar com mais segurança.

E se mesmo com essas dicas, os roxos persistirem, Hirudoid® reduz os hematomas¹, a inflamação¹, e alivia a dor¹.

Ao invés de disfarçar, resolva.

 

 

Referências:

http://pt.wikihow.com/Fazer-um-Hematoma-Sumir-Mais-Rapidamente

https://www.tuasaude.com/como-tirar-hematomas/

http://pt.wikihow.com/Curar-Hematomas-Rapidamente

https://fortissima.com.br/2014/09/13/descubra-como-curar-hematomas-de-forma-facil-com-solucoes-caseiras-14655647/

Acupuntura: A arte do alívio

Mas alivia em quê?

Em primeiro lugar, é importante saber que acupuntura é um tipo de terapia que utiliza agulhas, moxas e outros instrumentos na intenção de liberar substâncias químicas no organismo, que tem efeito analgésico ou antiinflamatório.

Ao longo dos anos, ela tem sido um recurso muito eficaz no tratamento da dor, assim como cura de doenças nos sistemas musculoesquelético, respiratório, neurológico e digestório, além de auxiliar no tratamento da obesidade, depressão, ansiedade e estresse.

De acordo com a medicina chinesa, os pontos responsáveis pelo equilíbrio do corpo são afetados por energias ruins absorvidas no decorrer da vida. Com isso, elas afetam o organismo de forma geral, gerando desconforto para o indivíduo.

Mas para quê ela serve realmente? Como ela pode ser benéfica na vida de alguém?

As vantagens da acupuntura incluem a rapidez na melhora do paciente, ausência de efeitos colaterais, a diminuição do uso de medicamentos tanto para casos agudos quanto para os de uso contínuo, e também em sua segurança.

Durante a sessão, você poderá sentir um choque elétrico e uma dor bem leve. É a forma que suas terminações nervosas usam para “avisar” que a agulha foi aplicada no ponto correto, da maneira correta. Geralmente, a acupuntura é costuma ser indolor, principalmente pelo pequeno diâmetro da agulha de até 10 vezes mais fina que as agulhas de injeção, e sua ponta redonda e não cortante, como as agulhas tradicionais. A intenção é fazer bem e não incomodar.

Não se pode afirmar que a acupuntura ajuda em 100% dos casos. Assim como medicamentos, cirurgias ou qualquer outro tipo de terapia médica, pode não ajudar. Mas é certo dizer que é eficaz para a maioria das pessoas que experimentam e sua é beleza está em ser um tratamento holístico, onde o tratamento inclui tratar a pessoa por inteiro, não apenas sua doença ou mal estar.

Vá em frente e dê o primeiro passo para sentir-se bem, mas se mesmo assim as dores persistirem, Hirudoid® reduz os hematomas¹, a inflamação¹, e alivia a dor¹.

Referências:

1. Bula do Hirudoid®.

http://saude.ig.com.br/acupuntura/

http://www.hong.com.br/9-razoes-para-voce-fazer-acupuntura/

http://www.ibramrp.com.br/noticia/58/por-que-a-acupuntura-funciona-para-alivio-da-ansiedade

https://www.tuasaude.com/acupuntura/